Plano de comunicação e marketing das Termas da Fadagosa

Publicado em 11-12-2013

 

A TERNISA-Termas da Fadagosa de Nisa, EM é uma empresa municipal de capitais maioritariamente públicos, pessoa colectiva nº 504 854 267, com o capital social actual de 49.879,79€, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Nisa sob o nº 1/010228. Foi criada com o objectivo de canalizar investimentos, desenvolver esforços e direccionar a sua estratégia no sentido da promoção do Termalismo no concelho e na região, procurando parceiros estratégicos com vista à melhoria da oferta dos serviços termais e ligação entre os vários vectores de desenvolvimento como o turismo, os transportes, a gastronomia, o artesanato, etc. A existência da TERNISA, E.M. pauta-se pela melhoria da qualidade de vida das pessoas incentivando-as a uma vida saudável associando as componentes terapêutica e lúdica.

 

SEDE E DELEGAÇÕES:
Sede e Balneário: Fadagosa de Nisa, Arez, 6050 NISA Telef. 245 798 133/433

 

Descrição sumária de projecto em que participou e que demonstrem a sua experiência na realização e/ou participação em acções semelhantes às que se propõe concretizar no Programa Acção:

As Termas da Fadagosa de NISA constituem um dos principais factores de atracção turística do Concelho de Nisa e do Norte Alentejano, sendo que a sua inauguração está prevista para o início do segundo trimestre de 2009, tendo as sua infraestruturas sido apoiadas por incentivos oriundos de Programas Comunitários e Nacionais, designadamente geridos pela CCDR-Alentejo e pelo Turismo de Portugal. O PENT, Plano Estratégico Nacional de Turismo, preconiza como um dos seus objectivos estratégicos, o Turismo de Bem Estar e Saúde, considerando igualmente que a sua principal complementaridade poderá estar ligada ao Turismo de Natureza, visto que em inquéritos sucessivos foi considerado que os frequentadores de unidades de turismo de bem estar e saúde, revelavam uma particular apetência para experimentar/frequentar, programas de animação (com ou sem alojamento) relacionados com o turismo de
natureza. As Termas da Fadagosa de Nisa, encontram-se em pleno território do Geopark (área classificada) expoente notável do Turismo de Natureza, designadamente na Beira Baixa e Norte Alentejano. A sua proximidade geográfica ao Parque Natural de São Mamede e ao Parque Natural do Tejo Internacional, tornam esta infraestrutura num
factor de atracção adicional para os turistas em busca de tranquilidade, espaços naturais, sossego e bem-estar.

A alteração de hábitos da vida contemporânea,  a constante procura pela excelência na qualidade de vida, exigiu ao termalismo tradicional que se reposicionasse, promovendo um restyling na sua apresentação e na sua estruturação, beneficiando os seus clientes –um novo paradigma de clientes, com um leque diversificado de acções complementares
às usuais terapêuticas tão sinónimas do termalismo até então identificável.Com esta conceptualização estratégica, novos factores de competitividade e novos comportamentos turísticos surgiram nos territórios dotados destas infra-estruturas, proporcionando aos mesmos novos motores de desenvolvimento sustentável das economias locais e das novas micro-economias consequentes destas unidades promotoras de bem-estar. Num cenário de  desenvolvimento estratégico do território, a instalação e/ou readaptação de unidades turísticas de saúde e bem-estar é um dos
factores críticos de sucesso da garantia de sustentabilidade da vida dessa região. Por um lado, o formato deste segmento turístico ( quer alvo, quer produto, quer promoção) estabelece um circuito não-massificado, permitindo a responsável utilização dos subprodutos disponíveis na região. Por outro lado, a natureza intrínseca ao segmento especificado dinamiza e protege os valores naturais e autóctones, preservando-os através de uma valorização dos mesmos e da correcta aplicação daqueles. A sustentabilidade económica, social e ambiental preconizada pelos traços identificadores do turismo de saúde e bem-estar assume-se como a chave de ouro na estratégia e no planeamento de comunicação de um território.

Este território, beneficiário da sustentabilidade inerente ao produto em questão, deverá ver reconhecido interna e externamente a sua acção de responsabilidade para com a sociedade civil. Esse caminho, quer de conhecimento, quer de reconhecimento, deverá ser conduzido por um  planeamento de comunicação estratégica, para que os traços de
identidade do turismo de saúde e bem-estar preconizado não seja alvo de um desconhecimento e de uma incapacidade de visualização no território e nos territórios adjacentes e territórios-alvo.

Deste modo, é fundamental que, aliado a uma linha de comunicação concertada com os princípios da unidade, seja desenvolvida uma acção comunicacional interna ao território, com uma forte aposta no contacto directo com a população e com o envolvimento económico actuante na região, bem como uma estratégia de promoção
externa, apostada em valorizar os princípios que gerem o new concept do termalismo de saúde e bem-estar.

É necessário que  exista uma acção estratégica e concertada ao nível da comunicação, interna e externa, para que a sustentabilidade do projecto, a importância para a promoção do bem-estar e a disponibilidade de respostas efectivas às necessidades dos clientes, tendo por base o respeito pelas envolventes naturais, sócio-económicas e territoriais, sejam devidamente conhecidas e reconhecidas.

 

Identificação dos recursos humanos e materiais susceptíveis se serem mobilizados para a boa implementação do(s) projecto(s) da sua responsabilidade:

Estão envolvidos neste projecto na fase de investimento, além da TERNISA, uma equipa de especialistas que respondem aos desafios colocados por este projecto. Têm vindo a  ser alocados recursos humanos (especializados, nomeadamente na área da saúde, geotermia e gestão de balneários termais) preferencialmente da região, com a formação adequada, que respondam aos critérios de qualidade definidos pelo benchmarking efectuado pela equipa de gestão.

 

Caracterização da situação económica, financeira e de gestão da entidade:

Para a concretização e gestão desta infra-estrutura e para a concretização deste projecto a TERNISA orçamentou a verba a disponibilizar no seu plano de actividades para 2009, pelo que terá todas as condições de partida (económicas, financeiras e de gestão) para a apresentação da competente candidatura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eventos

Sem eventos

Destaque