Plano de certificação do destino turístico do território Naturtejo no Alto Alentejo

Publicado em 11-12-2013

 

O Território Naturtejo, constituído pelos concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Portalegre, Proença-a-Nova, Oleiros e Vila Velha de Ródão, tem como missão o desenvolvimento sustentável de toda a região, com base na promoção do turismo de natureza, cultural e histórico. Trata-se de uma região vasta, cheia de contrastes paisagísticos e culturais. Situado no interior de Portugal, desde a Raia à Beira Interior, passando pelo Pinhal Interior até ao Alto Alentejo, reúne condições excepcionais para ser um pólo de desenvolvimento turístico, privilegiando a qualidade dos serviços e produtos oferecidos a quem visita o Território.

O Geopark Naturtejo da Meseta Meridional distinguido pela classificação patrimonial da UNESCO (parte integrante da European Geoparks Network e da Global Geoparks), área classificada de acordo com  o diploma de Julho de 2008 que regula todas as Áreas Classificadas do território português, é mais uma aposta da Naturtejo como um conceito inovador em Portugal no âmbito do turismo. Em toda a região, pode observar- se e usufruir de uma paisagem idílica, caracterizada por planícies extensas onde irrompem cristas quartzíticas, formando poderosas muralhas naturais só vencidas em cénicas gargantas pelas águas dos rios. Também a bacia do Tejo no seu troço médio, é o mote para o turismo activo em harmonia com a Natureza. A geologia diversificada em toda a região é o ponto de partida para a descoberta de ecossistemas preservados, para o contacto com a cultura de um povo afável e hospitaleiro. Desde a gastronomia ao artesanato, passando pela arte (natural e criativa), o visitante tem uma oportunidade única de partir à descoberta de tesouros bem guardados desta região.

 

Descrição sumária de projecto em que participou e que demonstrem a sua experiência na realização e/ou participação em acções semelhantes às que se propõe concretizar no Programa Acção:

O Geopark Naturtejo constitui um dos principais factores de atracção turística do Concelho de Nisa e do Norte Alentejano, sendo que o PENT, Plano Estratégico Nacional de Turismo, considera este território como um dos principais ícones do Turismo de Natureza de Portugal, Inclui na sua dimensão territorial uma parte considerável do território do Parque Natural de São Mamede e a totalidade do Parque Natural do Tejo Internacional, possibilitando que seja considerado uma referência em termos nacionais e internacionais para os turistas em busca de espaços naturais, biodiversidade, património geológico, património histórico-cultural, sossego e bem- estar.

Com a criação do Geopark, este território de cerca de 4600 km2, reforçou a sua actuação num novo paradigma de evolução, com um enfoque particular no Turismo de Natureza e na certificação e qualificação do alojamento, restauração, animação e produtos tradicionais, promovendo a integração de um número alargado de actores, o aparecimento de novos investidores e a criação de cadeias de valor regional, que oferecerão ao mercado a sua cultura e saber-fazer ancestrais na forma de produtos turísticos integrados e competitivos.

O Turismo de Natureza representa, actualmente, um mercado de 22 milhões de viagens internacionais por ano na Europa, com uma ou mais noites de duração, ou seja, 9% do total das viagens de lazer realizadas pelos europeus, crescendo a um ritmo anual acumulado de 7%. Aproximadamente 85% das viagens de Turismo de Natureza são de mais de 4 noites, constituindo uma importante procura secundária, complementando o sol e praia, o MICE, o golfe e a saúde e bem estar. Neste mercado, o gasto médio por pessoa/dia no destino pode variar entre 80 euros e 250 euros.

As características do Geopark, de contacto e compreensão da Natureza, não implicam a grandes investimentos em infraestruturas mas a intervenções que complementam os factores de atracção unanimemente reconhecidos, que retratam uma simbiose perfeita entre património histórico-cultural, geológico e biodiversidade, constituindo os ingredientes certos para uma formula mágica de turismo sustentável que transforma as Rotas do Geopark Naturtejo em experiências e emoções que perdurarão na memória dosvisitantes.

Desta forma, seguindo as directivas do poder central reflectidas no Plano Estratégico Nacional de Turismo (PENT), actuando em sintonia com as entidades regionais responsáveis pela formação turística, a Naturtejo espera gerar movimentos na região, em cruzeiro, de 10 milhões de euros por ano.

A Naturtejo tem vindo a contribuir para a implementação no terreno dos princípios estratégicos orientadores que foram identificados como prioritários pelo PENT:

1. Orientação para o cliente, através de uma estruturação de propostas de consumo (Rotas Geopark Naturtejo), ajustadas às necessidades e preferências dos visitantes com um enfoque nos ‘clusters’ de oferta (Turismo de Natureza e Saúde e Bem Estar) que irá facilitar a correcta percepção de valor por parte dos públicos alvo e assumir um posicionamento distintivo no mercado.

2. contribuindo em parceria com o Turismo de Portugal para a concentração dos esforços promocionais, estabelecendo prioridades na aplicação dos recursos e dos investimentos mais adequados para atingir o impacto desejado e promovendo o alinhamento e cooperação entre destinos e domínios específicos, nomeadamente com a vizinha Espanha, hoje objecto dos nossos maiores esforços, tirando assim partido da continuidade geográfica.

O Modelo de Certificação do Destino Turístico Naturtejo tem como objectivo ajudar/apoiar os vários actores da região que operam no turismo de forma directa ou indirecta, a melhorar a qualidade dos produtos e serviços que são postos à disposição do turista/visitante. Nomeadamente nas áreas do:

- Alojamento

- Restauração

- Animação

- Produtos Tradicionais

 

Pretende-se que este Modelo seja um instrumento de apoio na gestão empresarial, permitindo melhorar a performance das actividades associadas ao turismo no Território Naturtejo. O Modelo tem também como objectivo sensibilizar os diferentes actores que operam no sector do turismo para a importância da Gestão de Processos como contributo fundamental para uma melhor rentabilização do seu negócio. Ou seja, melhorar a qualidade, a satisfação dos turistas/visitantes, a inovação, a rapidez de resposta bem como a sua eficácia e eficiência, reflectindo o estádio de evolução de uma organização e a sua perspectiva de crescimento de um modo mais completo e sustentável. 

 

Identificação dos recursos humanos e materiais susceptíveis se serem mobilizados para a boa implementação do(s) projecto(s) da sua responsabilidade:

Estão envolvidos neste projecto na fase de investimento, além da Naturtejo e sua equipa multidisciplinar, um conjunto de especialistas que respondem aos diversos problemas colocados por este projecto. Foi efectuada uma análise de benchmarking que permitiu aferir as melhores práticas disponíveis no contexto da certificação dos destinos turisticos (em termos internacionais, pois não existe qualquer modelo de certificação de destino turístico em Portugal), de forma a se poderem adaptar os procedimentos que se revelaram mais eficazes em contextos semelhantes ao da Naturtejo.

 

Caracterização da situação económica, financeira e de gestão da entidade:

Para a concretização deste projecto a NATURTEJO orçamentou a verba a disponibilizar no seu plano de actividades para 2009, pelo que terá todas as condições de partida (económicas, financeiras e de gestão) para a apresentação da competente candidatura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eventos

Sem eventos

Destaque