Choças de Marvão – Espaço de férias naturista

Publicado em 10-12-2013

 

Objectivos:

Choças de Marvão - espaço de férias naturista, será um parque de campismo público de três estrelas, situado na Freguesia de Santo António das Areias a 10Km da vila de Marvão.

“Choças de Marvão” surge da ideia de criar um parque de campismo naturista, no Alto Alentejo, cativando os seus clientes pela simplicidade e maravilha do meio onde se insere, assim como, pelas características de sustentabilidade, que cada vez mais, são procuradas por um turista sensível às temáticas ecológicas.

Neste parque e sempre em harmonia com o meio envolvente é proporcionado ao Ecocampista uma segmentação de mercado pela sua vertente naturista. Onde pode em plena harmonia com a natureza, desfrutar de descanso, quer seja num fim de semana,  ou numa estadia de longa duração.

O Universo naturista europeu, representa segundo dados estimados pela INF, cerca de 60 milhões de pessoas, que reflectem uma procura, muito maior, do que a oferta existente. Desta realidade e também pela simpatia que a filosofia inerente ao Naturismo, nos causa, surge a ideia de rentabilizar este gosto pessoal, com a possibilidade da criação de um negócio cheio de potencialidade.

Em Portugal a oferta é escassa neste tipo de oferta turística, se comparado com a vizinha Espanha, onde já existem 22 espaços naturistas do género, Portugal tem 3 espaços todos eles numa fase bastante embrionária e de iniciativa estrangeira.

 

Descrição das acções/componentes:

Em termos de infra-estruturas, prevêem-se fazer obras de recuperação das habitações existentes:

- Edificação Principal: uma parte destinar-se-á a serviços de apoio ao parque: recepção, snack-bar, mercearia, posto de primeiros socorros, biblioteca e sala de convívio. A outra parte da edificação principal destina-se à habitação permanente dos requerentes. A área de construção desta habitação é de 178,40 m².

- Edificação Secundária: com uma área de 50,27 m², toda em pedra, de rés-do-chão e primeiro andar, destinar-se-á a alojamento turístico após o restauro.

Prevê-se a construção de novas infra-estruturas de apoio às actividades do parque de campismo:

- Instalações Sanitárias / Lavandaria: Este equipamento proposto pretende ser uma estrutura com instalações sanitárias, duches, lavagem e passagem de roupa. Terá uma área total de 70 m².

- Choças: Pretende-se construir três destas edificações raianas, de forma a funcionarem como um tipo de alojamento disponível no parque. Acrescentando assim, uma maior simbiose com toda a região envolvente. Tendo como área aproximada 15m² cada.

- SPA: A instalação da sauna e banho turco ainda está em estudo. Poderá ser feita dentro das próprias instalações sanitárias, numa construção independente em madeira ou ainda construindo mais uma choça adaptada para SPA. Esta construção não ultrapassará os 25m2.

- Área Técnica: Para os equipamentos de apoio à geração de energia e manutenção do parque, pretende construir-se uma choça com aproximadamente 16m2.

- Piscina Biológica: Pretende tirar-se partido dos recursos aquíferos do terreno para a criação de uma piscina biológica. Este tipo de piscina permite que se possa tomar partido de um plano de água com boa qualidade sem o recurso a químicos. Além disso a zona de lago naturalizado que purifica a água cria ecossistemas aquáticos e de margem de grande qualidade.

- Fitoetar: Todas as águas residuais serão alvo de uma filtragem inicial, para lhes retirar os resíduos de maior dimensão, sendo posteriormente tratados numa Fitoetar. Estas são constituídas por uma sequência de tanques de bioretenção, nos quais são realizados os tratamentos secundário e terciário.

- Arborização: Não sendo per si uma infra-estrutura, acaba por ser indispensável na envolvente de um parque de campismo. Pretende-se investir em espécies autóctones de modo a promover o equilíbrio do espaço com o meio envolvente.

Em termos de equipamentos, prevêem-se os seguintes investimentos:

- Sistema integrado de combate a incêndios de acordo com a legislação em vigor.

- Sistema integrado de distribuição de energia e água potável (furo aquífero)de acordo com a legislação em vigor.

- Microprodução de energias renováveis: Dado não haver rede eléctrica disponível na zona, toda a energia eléctrica necessária ao funcionamento do parque, será produzida no local recorrendo maioritariamente a fontes renováveis, nomeadamente à energia solar fotovoltaica, solar térmica e mini-eólica.

- Fonte de energia suplementar/emergência: Durante picos de consumo mais elevados, em caso de elevada ocupação em períodos de fraca iluminação solar, está prevista a utilização de gerador insonorizado para auxílio ao sistema de microprodução.

 

Tipologia do Projecto:

Infra-estrutura x                            Animação 

Equipamento (construção) x           Promoção / Marketing 

Equipamento (técnico) x                Soluções de gestão 

Conteúdos / Software              Estudos e Formação 

Outra 

 

Resultado a atingir:

Para os primeiros anos de integração do produto Choças de Marvão no mercado,
estabelecem--se os seguintes objectivos:

-  No primeiro ano de funcionamento, ter uma média de ocupação diária de 15 pessoas;

- Aumentar em 20% a taxa de ocupação nos quatro anos seguintes;

- Combater a sazonalidade com promoções especiais de longa duração para naturistas reformados;

- Tornarmo-nos, no prazo de 5 anos, num destino de referência do naturismo em Portugal ocupando uma quota de mercado de 20%;

- Atrair um encontro por ano de caracter nacional (organizados pela F.P.N);

- Atrair um encontro ibérico de cinco em cinco anos;

- Atrair dois encontros por ano de núcleos e/ou clubes de caracter regional;

- Os índices de reclamação deverão ser minimizados, não admitindo mais de 15 reclamações no primeiro ano de actividade;

- A taxa de satisfação deverá ser superior a 85% no primeiro ano. Para quantificar o nível de satisfação serão utilizados inquéritos. 

 

Entidades intervenientes e respectivo papel:

Promotor: Paula Cristina dos Santos Costa Nuno Gonçalo Manita Frade

Entidades Executoras/Parceiros do Projecto: Paula Cristina dos Santos Costa Nuno Gonçalo Manita Frade

Destinatários-alvo: Turistas  naturistas / eco-turistas

 

Horizonte do Projecto:

a) Início: ano de 2009                      b) Fim: ano de 2013

 

Investimento total previsto:  330.000,00( Euros)

 

Principais componentes de despesa:

(De acordo com a natureza do projecto e a tipologia dos investimentos a realizar)

Construções e adaptações  231.500,00 (Euros)

Equipamentos e materiais    87.000,00 (Euros)

Estudos e/ou Projectos        10.500,00 (Euros)

Marketing e Publicidade         1.000,00 (Euros)

 

Fontes de Financiamento:

Auto-financiamento 165.000,00 (Euros) – Comparticipação privada

 

Fases de desenvolvimento do projecto  e tempos de execução:

O esforço de investimento por parte dos dois investidores é grande. Assim, optou-se que este investimento será repartido em 4 fases.

- A primeira fase (2009) é constituída pela aquisição do terreno e respectivas despesas de instalação, inicio da implementação do projecto de arquitectura paisagista, e pequenas obras de recuperação das edificações existentes;

- Na segunda fase (20010/2011) avança-se para a construção das instalações sanitárias, obras de beneficiação do edifício principal e secundário, aquisição de uma parte do sistema de microprodução energética, execução da Fitoetar, bem como de furo aquífero, reforço do sistema de energias renováveis e construção de uma choça;

- Na terceira fase (2012) já com o parque Choças de Marvão aberto ao público será construída a piscina biológica, um reforço no sistema de energia, implementação do sistema de combate a incêndios e finalização das obras no edifício principal;

- Na quarta e última fase (2013), serão construídas as restantes choças e o SPA.

 

Sustentabilidade futura do projecto:

A sustentabilidade futura do projecto será suportada apenas pelas receitas provenientes das actividades decorrentes da oferta turística.

 

Experiência de trabalhos anteriores na área de actuação prevista:

Paula Cristina Costa 

- Licenciatura no ramo do turismo pela Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril. 

- Defesa deste mesmo projecto, como Tese Final de Curso em projecto de empreendedorismo onde após apresentação e defesa do projecto, o júri lhe atribuiu uma nota de 16 valores.

Paula Cristina Costa & Nuno Gonçalo Manita Frade

- Realização de Benchmarking no ano de 2008, em França onde visitaram 12 Parques de Campismo Naturista em que trocaram impressões com os proprietários de todos eles, tendo sido feito um levantamento exaustivo de Pontos Fortes e Pontos Fracos de todas estas infra-estruturas.

- Experiência no Associativismo Escotista, onde adquiriram uma vasta experiência na Organização de Actividades em que o Campismo teve sempre um papel preponderante.

- Experiência no Associativismo Naturista, onde foram eleitos para órgãos sociais da Federação Portuguesa de Naturismo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eventos

Sem eventos

Destaque